sexta-feira, 19 de maio de 2017

As primeiras lutinhas de espadas com o primo


Minha primeira experiência foi de vê outro pau foi engraçado de contar 
A gente mora bem próximo ao novo shopping que abriu esse ano Rio Mar Kennedy, na avenida Olavo Bilac, e e´costume a gente na idade de pivete (linguajar) cearense ter muito primos ou amigos para brincar. 
A gente pulou o terreno eu  meu primo  kel  e  fomos tentar tirar jambo, nesse terreno onde seria futuramente o Rio Mar , e  depois  bateu vontade de  urinar Quando meu primo ,  sugeriu uma brincadeira nova, 
Que era que durante que  gente mijar , a gente ficasse do lado do outro 
E ele tirou o pinto duro pra fora e falou que eu tinha que tirar o meu também, tirei o meu tava mole e daí ele encostou o dele no meu e começou a esfregar essa brincadeira de esfrega esfrega deixou meu pinto duro, a gente tava com 13 anos e  dava tensão , eu ainda nao tinha descoberto a punheta ,so ficava duro,mais nao batia punheta isso foi o máximo descobrr.
Virou nossa brincadeira favorita, ele morava do lado de casa, brincávamos assim todos dias que tínhamos um tempinho de tarde . Brincávamos até cansar e como tinha muita energia, ficávamos um tempão esfregando os pintos.

Mas um dia a minha tia adelaide,nos pegou no quarto da casa dele , fazendo isso e  ele levou uma surra e eu levei uma da minha 
porque ela viu nosso duelo de espadas e nos proibiu de brincar juntos. 
Acabamos nos distanciando e depois não tocamos no assunto e isso se passou um ano .
E eu conversando com outro primo meu , sobre assunto de gostosas, e tal ficamos de pau duro , ele me mostrou o pau dele  eu mostrei o meu e  o inesperado aconteceu.
E com esse primo tive oportunidade de me lembrar das lutinha.
E todo menino na fase da punheta fica curioso e exitado e  a ter uma luta de espadas de novo, foi com outro primo,  Léo. 
E Com esse primo eu era mais unido,tinha mais intimidade, com ele,e  o melhor da salvação  minha família ja tinha esquecido do caso, nao se comentava mais no assunto.
Eu já estava com 14 anos, e  tinha também aprendido a bater punheta e com ele  a gente sempre tocava no assunto,mais jamais contei que fiz lutinha de espadas com nosso primos,falávamos sobre besteira, batíamos punheta juntos,(isso aconteceu outro dia que contarei depois ) um ficava mostrando o pinto para o outro. 
Mas não rolava nada avançado entre nós. 
Até um dia em que fomos tomar banho juntos. 
Não havia malicia, eu nem pensava mais nos duelos com o outro primo kell, 
E minha mae, nem ligava se a gente tomasse banho em casa juntos, ou ele ficasse no meu quarto trancado comigo jogando vídeo game .
Só que em um dia desse de tarde ficamos pelados, o pinto dele estava duro o meu também, nada anormal, pois estávamos acostumados a bater punheta juntos, mas as coisas mudaram quando ele falou para medirmos nossos paus. 
O meu era um pouco maior que o dele, só que nossos paus se roçaram enquanto fazíamos a medida, daí eu lembrei da sensação gostosa de ter outro pau se esfregando no meu. 
Na hora convidei ele para fazer a lutinha e  ele perguntou como era
- Ei  man como é essa brincadeira  .disse ele
Ai, eu falei assim:
- É assim , voce esfrega o pau no meu pau e eu faço o mesmo e voce vai vê como é que ficamos .
E comecei a esfregar meu pau no dele. 
Depois disso sempre que eu ia posar na casa dele tomávamos banho juntos. 
Fizemos só uma vez no quarto, as outras foram todas no banheiro, afinal é normal ficar pelado no banho. 
Eu não queria perder a brincadeira de novo. Fizemos umas 8 ou 9 vezes. 
Mas ai eu me mudei e nos distanciamos, só depois de alguns anos voltei a posar na casa dele, mas daí não tocamos no assunto e nem tínhamos mais idade pra tomar banho juntos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário